Antecipar, preparar e enfrentar o futuro são os desafios

A prospeção do mercado e dos negócios é uma ação que se revela importante para as empresas nacionais. Isto permitir-lhes-á adaptarem-se e prepararem-se para os desafios do futuro. De forma genérica, é o que se pretende no projeto ‘Qualifica & Compete’, que a AECOA está a promover em conjunto com a sua congénere de Águeda.

A Associação Empresarial do Concelho de Oliveira de Azeméis (AECOA) realizou, no mês de janeiro, quatro ‘Ateliês Prospetivos’, uma das últimas atividades do projeto ‘Qualifica & Compete – Qualificação para a Competitividade da Indústria ‘Home&Office’, um programa executado em parceria com a Associação Empresarial de Águeda (AEA).

Estas jornadas de trabalho compreenderam a demonstração das atividades já executadas e respetivos resultados, e contaram com a presença de especialistas convidados, que se debruçaram sobre temáticas prementes no âmbito do projeto.

Dia 21, o consultor Luís Fonseca veio falar-nos dos ‘Processos de Qualidade e Inovação’, sendo ainda aproveitada a tarde para José Brandão de Sousa (Olivetree Consult) sensibilizar os empresários para a questão da atualização dos ‘Incoterms’ (2020), uma matéria que está na ordem do dia e que a AECOA pretende aprofundar brevemente.

No dia seguinte, a vez foi de Américo Azevedo, docente da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto. Com o tema ‘Roteiro para a Transformação Digital nas PME no contexto da Indústria 4.0’, este responsável, que assume ainda a coordenação do Centro de Engenharia de Sistemas Empresariais (CESE) do Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Tecnologia e Ciência (INESC TEC), desmistificou algumas ideias da ‘quarta revolução’ e defendeu que ainda há muito para fazer neste contexto. No Ateliê de 22 de janeiro, a ‘Indústria 4.0’ foi ainda abordada como desafio(s) para a ‘Saúde Ocupacional’, por Manuela Ferreira, professora da Escola Superior de Saúde Norte da Cruz Vermelha Portuguesa e Investigadora do Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde.

Na semana seguinte, no dia 28, Nelson Chang, docente da Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Oliveira do Hospital do Instituto Politécnico de Coimbra, e Luís Fonseca (consultor) apresentaram ‘Processos e Modelos de Coinovação’, e a 30 os ‘Novos Materiais’ centralizaram as atenções. Os convidados desta última sessão foram Luís Borrego, professor coordenador do Instituto Superior de Engenharia de Coimbra (ISEC) e investigador integrado do CEMMPRE – Centro de Engenharia Mecânica, Materiais e Processos da Universidade de Coimbra, e Martinho Oliveira, diretor da Escola Superior Aveiro Norte, Universidade de Aveiro.

 Plataforma para uma cooperação em rede

Incutir novas formas de competitividade e alinhamento estratégico entre setores e empresas nacionais da fileira ‘Casa&Escritório’ e a procura externa é um dos objetivos do projeto ‘Qualifica & Compete’ (‘Q&C’), que está praticamente a chegar ao seu términus. Este desiderato passa pela qualificação e pela apropriação de tecnologias avançadas, indústria 4.0, novos materiais e processos de inovação e de negócio, que permitam às empresas portuguesas antecipar o futuro e ganhar vantagem competitiva face à concorrência mundial.

Neste sentido, para além dos ateliês e de vários seminários com players internacionais, uma série de ações foi já executada pelas associações empresariais promotoras, de que importa realçar vários estudos: os de ‘diagnóstico’ a cada setor da abrangência deste programa – Iluminação, Metalomecânica e Ferragens, Cerâmica e Mobiliário; de ‘clusterização de competências centrais inovadoras da região (Norte e Centro) e Forecasting (FCS) para a inovação’; e, ainda, o estudo de ‘Forecasting de áreas centrais de inovação – alinhamento estratégico de FCS regionais face à realidade prospetivada pela procura externa’.

Estes levantamentos e planificações estratégicas previsionais ficarão, brevemente, disponíveis ao público em geral no ‘Observatório do desenvolvimento e sustentabilidade do tecido empresarial’, também já criado no âmbito do projeto. Uma outra ferramenta, também de acesso online, mas esta com áreas privadas para empresas, instituições, grupos e consórcios, encontra-se igualmente concluída. Trata-se da ‘Plataforma de cooperação e coopetição multifileira para o desenvolvimento de abordagens multidisciplinares de desenvolvimento de novos produtos’, uma nova praxis de coinovação em rede para as empresas da fileira. Esta plataforma disponibiliza conhecimento e instrumentos de inovação e de desenvolvimento de produtos em rede, em ambiente virtual. Um espaço privilegiado de colaboração e parceria entre atores públicos e privados associados à indústria ‘Home&Office’. Estas ferramentas serão lançadas publicamente a 19 e 27 de fevereiro (respetivamente em Águeda e em Oliveira de Azeméis), mês de encerramento deste projeto SIAC/ Qualificação, que conta com o apoio dos fundos estruturais (FEDER).

 

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *