Conquistar e consolidar mercados externos

A AECOA candidatou-se a novo projeto conjunto, desta vez no âmbito da Internacionalização. Aumentar as exportações a montante e a jusante da fileira agroalimentar é objetivo primeiro, através da prospeção e promoção em mercados ‘tradicionais’ e de ‘oportunidade’. O valor do incentivo é de 50% não reembolsável.

A Associação Empresarial do Concelho de Oliveira de Azeméis (AECOA) submeteu, no dia 05 de abril, uma candidatura ao aviso 35/SI/2018 do POCI – Projetos Conjuntos, cuja prioridade de investimento é o “desenvolvimento e aplicação de novos modelos empresariais para as PME, especialmente no que respeita a Internacionalização”.

O novo projeto – ‘IntPME’ – visa aumentar a capacidade exportadora de empresas fornecedoras de equipamentos, serviços e ingredientes para a indústria agroalimentar, através de ações de prospeção e de promoção nos denominados ‘mercados de oportunidade’ e/ou ‘mercados tradicionais’. No que respeita a estes últimos, a AECOA definiu, como alvos, a Espanha e a Alemanha, enquanto o Médio Oriente e Norte de África, bem como a Costa Oeste Africana revelam-se como mercados com grande potencial para novas oportunidades de negócio.

Estratégias de abordagem

O ‘IntPME’ prevê realizar um conjunto de ações, que passa pela prospeção nos mercados-alvo, nos quais se pretende promover o cluster previamente definido pela AECOA – fornecedores de equipamentos, serviços e ingredientes para o agroalimentar.

A participação em feiras internacionais e a organização de missões empresariais a países terceiros, e inversas, estão previstas para 2020 e 2021, anos de execução do projeto, que, caso seja aprovado, assume uma taxa de apoio de 50% a fundo perdido para as empresas aderentes. Para além destas ações, outras há que complementam o projeto, nomeadamente a realização de diagnósticos e estudos de mercado, planos de marketing com utilização de ferramentas digitais, mediante recurso a tecnologias e processos associados à indústria 4.0, etc..

Aumento da capacidade exportadora

Com esta candidatura, a AECOA pretende prosseguir a sua missão, congregando sinergias capazes de criar valor para as empresas da sua área de abrangência e para a economia nacional de modo geral.

No terreno, a Associação Empresarial oliveirense conta já com parceiros estratégicos, de que é exemplo a Câmara de Comércio, Indústria e Serviços de Portugal em Marrocos (CCISPM), e prevê estabelecer novos acordos com outros pares, mormente junto dos ‘mercados de oportunidade’.

Para além de ‘abrir portas’ a novos negócios em países potencialmente atrativos e/ou consolidar os já existentes, bem como promover a imagem da fileira agroalimentar portuguesa além-fronteiras, o ‘IntPME’ quer obter resultados que podem ser quantificáveis, tendo por base mais de uma dezena de empresas que a ele já aderiram: estima-se um aumento de 11% do volume de negócios e de 7% de intensidade exportadora do agregado, entre os anos pré (2017) e pós-projeto (2022).

Se a sua empresa se enquadra na fileira definida e está interessado em integrá-la neste projeto da AECOA ou obter mais informações, contate 256 668 824 / geral@aecoa.pt

Ficha Técnica

 

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *