Consórcios e parcerias são o caminho a seguir

O ‘QUALIFICA&COMPETE’ chegou ao fim. Trata-se de um projeto promovido em parceria pela AECOA e pela AEA. Este desenvolveu ferramentas importantes de inovação e qualificação de empresas em termos prospetivos. Uma ideia que ficou bem patente na sessão de encerramento e que foi reconhecida por Mónica Moreira, responsável da AICEP.

Mónica Moreira da AICEP, acompanhada pelos presidentes dos órgãos deliberativos da AECOA (ao centro) e da Freguesia de Cesar, respetivamente Casimiro de Almeida e Aníbal Campos.

Mónica Moreira, da direção da Rede Externa e Institucionais da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP), reforçou a importância dos projetos do Portugal 2020 para apoiar as empresas portuguesas a assumirem uma presença marcante, uma referência, nos mercados internacionais. Para isso, importa estarem atentas a programas como o ‘Qualifica & Compete – Qualificação para a Competitividade da fileira Home&Office’ (Q&C), que chegou ao fim a 28 de fevereiro último. A sessão de encerramento deste projeto integrado no Sistema de Apoio às Ações Coletivas (SIAC), promovido pela AECOA em parceria com a Associação Empresarial de Águeda (AEA), teve lugar no dia anterior (27 de fevereiro), na Junta de Cesar (Oliveira de Azeméis), freguesia que concentra grande parte das indústrias de louças metálicas e acessórios afins.

Numa era em que a transformação digital passa por todos os contextos e setores, nomeadamente pelo próprio AICEP, Mónica Moreira, presente na sessão, felicitou as atividades desenvolvidas no âmbito do ‘Q&C’, mormente o lançamento da Plataforma de Cooperação e Coopetição, e do Observatório de Desenvolvimento e Sustentabilidade, como mais-valias para catapultar as empresas do Norte e Centro do país a outros patamares. Estas ferramentas permitem o estabelecimento de consórcios que vão marcar a diferença, sobretudo para o tecido empresarial cuja dinâmica passa pela conquista de novos mercados. As empresas devem trabalhar em conjunto, criar parcerias, não só entre si como com outros agentes económicos e com instituições ligadas ao conhecimento científico e à investigação, contexto que o ‘Q&C’ se propôs viabilizar de forma dinâmica e prospetiva. Um trabalho que não se esgotará com o fecho oficial do programa.

Após a apresentação sucinta destas novas plataformas, pelo especialista Cláudio Resende, e as palavras de Casimiro de Almeida e de Aníbal Campos, respetivamente presidentes dos órgãos deliberativos da AECOA e da freguesia de Cesar, e do secretário-geral da AEA, Miguel Coelho, o diretor executivo da AECOA sintetizou os resultados concretos e a atividade realizada ao longo de ano meio sensivelmente, perante uma plateia que incluía, para além de outros membros dos órgãos sociais da AECOA e da associação parceira, autarcas locais, empresários e público em geral.

Na mesa da direita, o diretor executivo da AECOA (à dir.ª) e o secretário-geral da AEA, respetivamente António Pinto Moreira e Miguel Coelho.

 

 

 

Na mesa da esq.ª, Cláudio Resende a quem coube a apresentação da Plataforma de Cooperação e do Observatório de Desenvolvimento, criados pelo projeto que agora encerrou.

Das ações apresentadas por António Pinto Moreira, retenha-se a realização de diversos estudos: Diagnósticos dos setores abrangidos pelo projeto da fileira ‘Casa & Escritório’ (Iluminação, Metalomecânica e Ferragens, Cerâmica e Mobiliário); Clusterização de Competências Centrais Inovadoras da Região e FCS para a Inovação; e Forecasting de áreas centrais de Inovação – Alinhamento Estratégico dos FCS Regionais face à realidade prospetivada pela procura externa. Para além disso, o ‘Q&C’ permitiu trazer ao tecido empresarial diversos players internacionais, realizou vários de ateliês prospetivos demonstradores, lançou um catálogo de empresas do cluster (online e impresso), entre várias outras iniciativas.

Recorde-se que este projeto de Qualificação e Inovação das PME é financiado pelo Portugal 2020, no âmbito do Programa Operacional Competitividade e Internacionalização (POCI), no montante de investimento total de € 365.974,20, dos quais € 311.078,07 são provenientes do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER).

 

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *