Para o presidente António da Silva Rodrigues

Protocolo surge no “momento oportuno”

Mesa que presidiu a cerimónia. Ao centro, os presidentes António da Silva Rodrigues (AECOA, dir.ª) e José Maria Teixeira (CCISPM), ladeados à esq.ª pelo vice-presidente Norberto Rodrigues e, à dir.ª, Manuel Tavares, também vice-presidente da AECOA.
Em baixo, alguns dos membros dos corpos sociais e associados da AECOA, bem como o diretor da ESAN que assistiram ao ato.

O Protocolo de Colaboração assinado, em Oliveira de Azeméis, no passado dia 07 de fevereiro, entre a AECOA e a CCISPM, pretende incentivar e promover as relações comerciais entre as empresas e os investidores portugueses e marroquinos. Numa fase futura, outras matérias poderão ser também alcançadas.

“Esperamos, desta parceria, virmos a desenvolver projetos e ações em comum, que ajudem ao conhecimento e estreitamento de relações comerciais com Marrocos, capazes de contribuir para a criação de mais riqueza e de mais bem-estar”. Estas foram palavras do presidente da Direção da Associação Empresarial do Concelho de Oliveira de Azeméis (AECOA), António da Silva Rodrigues, após assinar o Protocolo de Colaboração com a Câmara de Comércio, Indústria e Serviços de Portugal em Marrocos (CCISPM).

“É já de algum significado a presença de empresas oliveirenses em Marrocos nas áreas como a metalomecânica e moldes para plásticos”, prosseguiu. Por isso, para o dirigente máximo da AECOA, “torna-se importante a partilha de informação entre as partes e ações práticas para um maior conhecimento mútuo dos povos de Marrocos e de Portugal”. Até porque a Associação Empresarial do Concelho de Oliveira de Azeméis, presentemente, “está a elaborar uma candidatura ao Portugal 2020 para um projeto conjunto de internacionalização”, que, caso seja aprovado, prevê a “implementação de ações na economia digital, nas tecnologias e processos associados à indústria i4.0 e na presença das empresas em feiras internacionais, nomeadamente em Marrocos, Espanha, Alemanha e Emirados Árabes Unidos”. Daí que a conclusão seja evidente: “Esta parceria ocorre num momento oportuno”, considerou o presidente António da Silva Rodrigues.

Marrocos é agora um mercado com grande potencial

Por seu turno, José Maria Teixeira, presidente da CCISPM, encarou este acordo como uma mais-valia para os mercados dos dois países. “O objetivo é promover sinergias, pô-las a trabalhar de um lado e de outro”, no sentido de “conhecermos o que podemos fazer para ajudar as empresas de Oliveira de Azeméis a entrarem no mercado marroquino, de uma forma ou de outra”. Isto é, “através de projetos próprios, de parcerias”, ou até mesmo “trazendo compradores de Marrocos a visitarem as empresas oliveirenses para estabelecerem eventuais relações comerciais futuras”.

Reconhecendo que “as empresas portuguesas ainda olham para o mercado marroquino com um certo desdém, considerando-o sem grande potencial”, José Maria Teixeira chamou a atenção que a realidade atual não corresponde a essa imagem: “Quando os empresários portugueses lá chegam ficam surpreendidos, porque Marrocos tem feito uma aposta brutal nos últimos anos, nomeadamente ao nível da economia e das infraestruturas”.

Ainda no quadro do protocolo assinado entre a entidade que preside e a AECOA, adiantou outras linhas estratégias a médio e longo prazo, que poderão abranger áreas diferentes, como a formação, cooperação cultural, entre outras. O que este dirigente da Câmara de Comércio, Indústria e Serviços de Portugal em Marrocos espera mesmo é que “cheguemos em conjunto a bons resultados”.

De salientar e reconhecer, tal como o fez o responsável máximo da Associação Empresarial, o importante papel desempenhado pelo seu colega da direção, Norberto Rodrigues, no estabelecimento deste protocolo com a Câmara de Comércio de Portugal em Marrocos, país onde este mantém relações profissionais.

Para além dos subscritores do acordo (mesa), alguns elementos dos corpos sociais e associados da AECOA compareceram ao ato, que decorreu nas instalações da Escola Superior Aveiro Norte (ESAN), onde a Associação Empresarial possui a sua sede, tendo a possibilidade de visitar o edifício, guiados pelo seu diretor, Martinho Oliveira. Este, momentos antes, havia dado uma breve ‘aula de história’ sobre a vinda deste polo da Universidade de Aveiro para Oliveira de Azeméis e sobre a génese da indústria de vidro no concelho. A propósito, José Maria Teixeira levou na bagagem um cisne produzido pelo Berço Vidreiro, oferta da AECOA, e um livro sobre o município da Câmara Municipal, tendo deixado igualmente um livro sobre Marrocos. E ficou a conhecer alguns produtos regionais oliveirenses (pão e regueifa de Ul) durante o Porto de Honra com que a AECOA brindou e selou o protocolo.

Troca de dossiês com os acordos já assinados e de lembranças entre os líderes das entidades protocoladas, vendo-se em baixo, de pé à dir.ª, o diretor executivo da AECOA, António Pinto Moreira, que, com Norberto Rodrigues, fez a ponte para a formalização desta parceria.

 

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *